Como calcular o valor rotativo do cartão?

Vale sempre a pena lembrar de que o cartão de crédito pode se transformar em uma enorme dor de cabeça se seu uso não for bem planejado. É repetitivo dizer, mas é necessário, que não se deve gastar mais do que se ganha, pois será muito difícil de pagar depois.

Como muitas pessoas acabam perdendo o controle das finanças em algum momento, a opção de pagar apenas o mínimo da fatura é sempre a decisão primeira. Mas, o que parece uma boa opção, esconde um enorme perigo para o orçamento no mês seguinte.

Quando se paga apenas o mínimo, ou qualquer valor menor do que o total da fatura, o saldo restante é jogado na fatura do mês seguinte. Mas essa não é a parte ruim, o que pode tirar o sono de muita gente são os juros lançados sobre esse valor.

Como funciona o rotativo

Todos os meses o cliente recebe, seja eletronicamente ou de maneira física, a fatura do cartão. Nela consta os gastos em determinado período, compreendido entre a abertura e o fechamento dela.

Ela é acompanhada de um boleto de pagamento, e consta o valor total e o valor mínimo a ser pago. Quem tem cartão de crédito já sabe do que estamos falando. Com esse boleto, o cliente pode fazer pagamento de qualquer valor entre o máximo e o mínimo, sendo, evidentemente, o mais indicado fazer o pagamento total.

Caso o cliente não tenha condições de fazer o pagamento total, ele paga um valor inferior e não fica em dívida com a empresa. Mas é aí que mora o perigo. Como foi dito, o saldo restante é lançado na próxima fatura e acrescido de juros.

Agora a parte mais assustador, esses juros não são nada baixos, chegando a quase 500% ao ano, mais de 40% ano mês.. Por isso, você acaba pagando muito mais do que utilizou. E quando no mês seguinte falta dinheiro de novo? Aí o cliente repete o pagamento mínimo e pode entrar numa bola de neve.

Como funciona prática

Os juros são calculados, portanto, sobre o saldo devedor não pago, e não sobre o valor total da fatura.

Quando você recebe uma fatura de R$ 1000,00, e paga o mínimo de 20% (R$ 200,00), lanã automaticamente R$ 800,00 no rotativo. Esse valor virá na fatura acrescido dos juros, que mudam de uma operadora de cartão para outra.

Como posso calcular quanto estou pagando de rotativo?

Quando você assina o contrato do cartão de crédito, subentende-se que você concorda com todas as condições ali colocadas. Por esse motivo é extremamente importante que você o leia com muita atenção antes de sequer pegar na caneta.

Se você não tem mais o contrato, não leu ou não lembra das informações, basta consultar a operadora. Existem algumas maneiras de se informar sobre a taxa de juros do rotativo, uma delas é a fatura. Lá tem discriminado cada cobrança.

Você deve localizar a informação referente à taxa de juros do rotativo. Depois disso você vai usá-la para calcular o valor que será cobrado na fatura seguinte ou a que veio na fatura atual.

Usando o exemplo anterior, se você deixou R$ 800,00 para a fatura do mês seguinte e os juros do rotativo são de 15%, esse valor passa para R$ 920,00. Então, você pagará R$ 120,00 a mais por ter deixado a dívida para o mês seguinte.

Esse valor pode ainda ser acrescido de IOF, multa e juros de mora. Portanto, não se assuste se vier uma valor ainda maior.

Para evitar esse tipo de surpresa é que os especialistas recomendam usar o mínimo possível o cartão e sempre optar por pagamentos à vista com dinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *